8 de jul de 2007

Forte de São Tiago das Cinco Pontas


Forte de Tiago das Cinco Pontas

O Forte das Cinco Pontas (Vijfhoek) foi construído em 1630 pelos holandeses, por ordem de Frederik Hendrink, Príncipe do Orange, Capitão-General e Almirante, General de cinco das sete Províncias Unidas dos Países Baixos. Sua Construção foi providenciada para garantir o suprimento d’água das cacimbas de Ambrósio Machado”, no extremo sul da ilha de Antônio Vaz, único lugar onde havia água potável no Recife e também para impedir que barcos inimigos penetrassem pelas áreas baixas do Rio Capibaribe, em direção ao Sul do Recife, e que o açúcar fosse desviado através de uma passagem nos arrecifes, chamada “Barreta dos Afogados”.

Photo Credit: Osvaldo Barreto

Esta fortaleza teve, inicialmente, o nome de “Frederik Henridrik”, em homenagem ao Príncipe de Orange. O apelido “Cinco Pontas” devido a sua forma original, pentagonal, em forma de estrela continuou mesmo após a reforma feita pelos portugueses, quando se transformou numa estrutura de apenas quatro pontas.

Photo Credit: Osvaldo Barreto

O projeto de construção do forte, de acordo com melhor estilo de edificação holandesa do século XVII,é atribuído ao engenheiro holandês Tobias Commersteijin e a direção das obras a Peter Van Buerer. Em sua primeira feição suas muralhas eram feitas de terra e não ultrapassavam 12 pés de altura.

Em 1654, as forças brasileiras e portuguesas, comandadas por André Vidal de Negreiros e pelo general Francisco Barreto de Menezes, finalmente derrotaram os holandeses e ocuparam o Forte das Cinco Pontas, tendo a rendição ocorrido na Campina do Tarborda, Porta sul da cidade, nas imediações do Forte.

Photo Credit: Osvaldo Barreto

Em 1677, após a rendição dos holandeses, o forte foi reconstruído em pedra e cal com apenas quadro baluartes. Seu Nome foi mudado para forte de São Tiago, mas o povo, fiel a sua origem, logo o chamou de São Tiago das Cincos Pontas.

Photo Credit: Osvaldo Barreto

Com a expansão da cidade o forte perdeu seu sentido de defesa e ganhou novos usos. Nos séculos XVIII e XIX funcionou como prisão e mais tarde como quartel militar. Em 1938 foi tombado como patrimônio nacional e, em 1980 foi restaurado e passou a sediar o Museu da Cidade do Recife a partir de 1982.


Obs: Esse texto faz parte do material 
de divulgação do Museu da Cidade do Recife.


Um comentário:

Veja Como Eu Vejo disse...

Muito bom!

Estou pretendendo ir conhecer. Achei seu blog na busca para saber mais sobre o Forte.
Gostei do seu blog. Estou te seguindo.

Abraço!