1 de mai de 2007

Goiânia, minha Goiânia


Falar sobre Goiânia, é ao mesmo tempo prazeroso e árduo, pelo simples fato de ser goianiense e ser uma enamorada da “minha” cidade.

Se por um lado, Goiânia é considerada uma cidade tipicamente interiorana, por outro lado, é a capital que mais tem crescido nos últimos anos.

Falar que a cidade é linda, que oferece qualidade de vida e etc. é chover no molhado, visto que a mídia tem se encarregado disso com bastante empenho e mérito.

 

No entanto, lanço aqui um olhar mais reflexivo sobre a cidade.

Ressalto de imediato que Goiânia foi, inicialmente, projetada para 50 mil habitantes e conta hoje com cerca de 1.300.000 habitantes. Nem seu fundador, Pedro Ludovico Teixeira, talvez, tenha imaginado tal crescimento em 74 anos.

Capital do Estado de Goiás, localizada a 200 km de Brasília, tem boa infra-estrutura de saneamento básico, alta taxa de alfabetização (95,2%) e PIB per capita de R$ 7.274,00 (em 2004) e o índice de desenvolvimento humano municipal gira em torno de 0,832 pontos.

A expansão comercial e industrial de Goiânia é notória sendo que a indústria de confecção fez surgir as feiras livres de confecções e levou o nome da cidade além –fronteiras nacionais e internacionais, como também a indústria química e farmacêutica e a alimentícia.

Mesmo com largas avenidas, a frota de veículos constitui um desafio para a engenharia de tráfego, pois a cidade possui a maior frota de motos per capita do Brasil e o índice de um carro para cada 1,7 habitantes.

Com uma taxa de crescimento tangendo a casa de 1,85% ao ano, cabe aqui repensar o futuro da cidade.

O que se espera de uma cidade como Goiânia e como será ela daqui a 30 anos?
Claro, que com tais índices apresentados, as perspectivas são animadoras, mas também preocupantes.

Á medida que o crescimento for se ampliando e fortalecendo, o progresso e o avanço econômico para a região Centro-Oeste também se expande, gerando emprego, renda e desenvolvimento, sendo assim um aspecto positivo.

Por outro lado, o crescimento vertiginoso da capital goiana aflige, haja vista as implicações sócio-culturais e, principalmente, ambientais, quando analisados os índices de proporção carro/nº. de habitantes e o índice de crescimento populacional que traz consigo a poluição visual, sonora, do ar e da água, atingindo diretamente a qualidade de vida dos goianienses.

Espera-se que num futuro, não muito distante, Goiânia ostente com graça a primeira colocação em arborização (atualmente ocupa o 2º lugar nacional) e como também a melhor capital para se viver (segundo a FGV, atualmente, Goiânia ocupa o 2º lugar nacional).

Deixando as utopias futurísticas de lado, Goiânia tem grandes chances de se tornar um centro de referência urbanística e ecológica, bastando cultivar um crescimento sustentável com foco na qualidade de vida dos moradores, dependendo sobremaneira da seriedade dos gestores públicos na condução do plano de crescimento urbano da cidade.*

Texto e imagens de Brigitte Luiza

_______________________________________
*Fonte: http://portalspin.seplan.go.gov.br


Brigitte Luiza é professora e bacharel em direito. Gosta de literatura, música, filmes, filosofia. Pós graduada em Gestão e Políticas Públicas.É de Goiana, descendente de alemães e poloneses.É católica,não carismática. É também colaboradora do site Overmundo.

5 comentários:

cleonice fortunato disse...

Gostei muito do texto sobre Goiânia, ao lê-lo parece que estamos na própria cidade. Parabéns Drª Brigite, continue escrevendo, você tem um grande futuro nesta área.

Daniel Tonet disse...

Para Goiânia tornar-se referência urbanística e ecológica, dependemos não apenas dos poderes públicos, mas de cada um de nós. Parabéns pelo texto e pelas idéias!

Fotomagia disse...

Sou baiana mas, goiana de coração.
Gostei muito do seu texto porque trás muitas informações importantes
pouco conhecidas por grande parte das pessoas.
Moro aqui há vinte e um anos e ADORO essa cidade!
Parabéns!

novais.fabio disse...

Sou paulistano, mas sou goiano de coração.O que me deixou animado e ao mesmo tempo encucado é essa renda percapita de R$ 7.274,00 (em 2004)Será tudo isso mesmo? Se for, me programarei para morar aí dentro de pouco tempo.Tenho um sonho de um dia morar nesta cidade, que para mim, indubitavelmente é a melhor cidade para se viver no Brasil.E que tem as mulheres mais bonitas também.

VivianneOliveira disse...

Excelentes informações no seu texto. Sou goiana e há 1 ano estou morando em Salvador. Todos os dias eu choro de saudade dessa cidade linda, acolhedora, boa de se viver. Sempre gostei muito de viver aí, mas por motivos de força maior tive que vir passar um tempo aqui na Bahia e sinto muita falta dos goianos. Volteir logo, sem dúvida a melhor capital pra se viver no Brasil.