22 de set de 2007

Massagueira: a terra prometida!

Photo credit: Osvaldo Barreto
O Veneza de Brasileiros esteve em Alagoas e visitou o pólo gastronômico da Massagueira, um dos locais mais interessantes da grande Maceió e reduto de um elenco de bares e restaurantes populares (principalmente no preço), onde não faltam bons anfitriões. O VB tratou com o responsável pela administração do Bar do Canal, um ferrenho defensor de políticas públicas que absorvam essa região como bandeira, numa entrevista cheia de aspectos críticos e culturais, um papo informal que nos levou a compreensão dos problemas e adversidades da região, parte do município de Marechal Deodoro.

Photo credit: Osvaldo Barreto
Photo credit: Osvaldo Barreto
Outros problemas também atrofiam o crescimento do local e o seu melhor aproveitamento turístico e econômico. Ele ainda adverte: “perdeu-se no tempo a ingenuidade da juventude da Massagueira, e alagoana como um todo, que hoje se envolve com as drogas ou com a bebida, enquanto antigamente se divertiam em campinhos de futebol, praticando o esporte de modo saudável. Hoje o que se vê é a especulação imobiliária tomando os territórios dos jovens e acuando-os em atividades pouco meritórias. As duas únicas escolas da Região também não parecem cuidar bem dos jovens, pois, em todos os concursos públicos realizados na localidade de Marechal Deodoro, 99% dos empossados são de fora.”

O ponto alto da Massagueira, e o que a torna um pólo gastronômico destacado, é justamente a qualidade de sua cozinha e os preços competitivos. Enquanto a “Praia do Francês”, a alguns quilômetros dali, sendo um dos principais pontos turísticos da região, conhecida inclusive internacionalmente, pratica preços absurdos, a Massagueira adota valores mais razoáveis, chegando a um terço daqueles. Os massagueirenses trabalham com peixes de primeira linha, além de discriminar nos cardápios exatamente o peixe a ser consumido. “Enquanto, nos demais restaurantes, o cardápio aponta uma posta de peixe, na Massagueira há o hábito de explicar que peixe está a se oferecer ao cliente. Isso por um lado aumenta os custos, não encarecendo, entretanto, o preço ao cliente, mas dificultando a sobrevivência dos bares que atuam geralmente no limite.” E advoga: “A saída para esse impasse é procurar minimizar os custos trabalhistas, por exemplo, e muitos bares da região trabalham com funcionários na clandestinidade, sem pagar todos os direitos trabalhistas. Aí vem a delegacia do trabalho e multa. As pessoas até gostariam de pagar, mas não podem.”

Questionado sobre a formação de associações na Massagueira, ele é enfático: “o pessoal é desunido, ocorre a camaradagem, isto é, se eu preciso de algum item do cardápio para servir um cliente, posso pegar em outro restaurante, mas, quanto a associações e cooperativas, ocorre uma desunião, até por culpa da própria cultura regional, que não estimula essa forma de atitude, tendendo-se a se aguardar as melhorias caírem do céu ou das mãos do poder público”. Mesmo em ocorrendo iniciativas do SEBRAE, por exemplo, direcionadas para o aperfeiçoamento das empresas e dos seus gestores na Massagueira, os nativos não levam muito a sério, pois o que sucede é um gasto mínimo com o auxílio e a cooperação, em detrimento de uma imensa quantidade de dinheiro em prol da divulgação da ação em si mesma. “O governo realiza, de quando em quando, festivais gastronômicos com utilização de folders e propaganda para chamar as pessoas aos restaurantes, isso, de fato, é bacana! Tudo aqui na Massagueira parece viver em torno de iniciativas políticas que nunca são satisfatórias.”- Completa ele.

Photo credit: Osvaldo Barreto
Photo credit: Osvaldo Barreto
Quem conhece a Massagueira, entretanto, não deixa de parar por lá nos finais de semana, principalmente. Quando muitas vezes os restaurantes são tomados por uma leva muito grande de pessoas da própria Maceió, mas que não desejam pagar os preços exorbitantes da Praia do Francês, e serem igualmente (ou até mais) bem servidos.

Ele destaca também as noites de lua cheia da Massagueira, cujo espetáculo é imperdível para visitantes e até para os próprios residentes de Maceió.

“Temos de trinta a trinta e cinco bares aqui na Massagueira, aguardando a visita do turista ou do próprio alagoano, mas todos com dificuldade, uns mais, outros menos, no entanto, todos de braços abertos para acolher os turistas.” Encerra ele. Trata-se de uma região riquíssima em potencial econômico e atrativos naturais, embora seja tão castigada pelo desprezo do poder público.

Indo a Alagoas, a Massagueira
é parada obrigatória, no caminho para a famosa Praia do Francês, não se pode deixar de provar o sururu da terrinha, dentre outros, não menos saborosos, quitutes regionais. Não à toa, o alagoano tem a alcunha, já registrada no dicionário Aurélio, de Papa-sururu!!!! 

Texto de
Marcos André Carvalho Lins

3 comentários:

Anônimo disse...

Como moradora da cidade de Maceió e frequentadora assídua da Massagueira posso afirmar a veracidade das informações contidas nesta bela reportagem que tão bem retrata as desigualdades do lugar: uma beleza estonteante, tipo cartão postal, tão bem captada pelo Osvaldo em suas magníficas imagens, em contraste com o abandono do lugar pelo setor público quanto a sua divulgação e preservação. Parabéns autor e fotógrafo pelo grito de alerta em tão bela reportagem.
Maria Lúcia Rocha

Anônimo disse...

Gostaria de saber se essa realidade ainda se encontra nos dias de hj... tb estive há uns anos e fiquei pensando sobre essa questão: o qto poderia crescer se fosse trabalhada essa região... Vc poderia me falar como está hj?
Abs de Bsb

jeberaldo disse...

Apesar de nos colacar na mídia, pois Massagueira é sim o maior pólo gastronomico de Alagoas, consolidado pelo Mtur, Sebrae/Al, Setur/AL e Prefeitura de Marechal Deodoro, discordo, mas considero, pois as informações fora prestdo por quem pouco conhece nossa região, pois quem mais conhece sua casa, que o dono da casa, só quem nasce aqui conhece bem toda essa beleza e facinante margem lagunar repleta de sabor mil, golusimas diversas, abores incomparevéis, que não conhece COCADA DA MASSAGUEIRA, a original. Dificuldades todos tem, mazelas também existem, mas nada que com vontade politica não se resolva, o crescimento trás isto, mais crescer é aceitar desafios, venham visitem Massagueira, vema o site>wwwmarechaldeodoroal.com.br e venha comprovar e se deliciar com nossas iguarias gastronomicas e belezas naurais do maior complexo lagunar mundau manguaba.