13 de set de 2007

Recife: de uma ponte a outra.

Photo Credit: Osvaldo Barreto
Tudo em família! Esse parece ser o lema da empresa de passeios turísticos “Catamaran tours”, nascida oficialmente em 1994, com passeios esporádicos em Igarassu, litoral norte de Pernambuco. O empreendimento foi evoluindo, passando de um mero passeio de jangada para um circuito de barco propriamente dito. Em Recife, eles estão desde 1999, quando iniciaram os passeios de Catamarã no Marco Zero, e depois mudaram para o restaurante Catamaran, localizado a cinqüenta metros do Forte de Cinco Pontas.

Photo Credit: Osvaldo Barreto
Hoje a empresa familiar realiza um dos percursos mais instigantes da cena turística recifense: o passeio de catamarã subindo o rio Capibaribe e cruzando as pontes desde a ponte Doze de Setembro, mais conhecida como ponte giratória. Trajeto realmente muito agradável aos sentidos, não só pela beleza da paisagem, mas também pelo conteúdo informativo. O capitão, praticamente, destrincha todo o centro da cidade ( em português e em inglês ), apontando e esclarecendo a importância de cada prédio avistado. As pontes, tão pomposas para quem circula sobre elas a pé, porém, mais se assemelham a um túnel, do ponto de vista da sua travessia náutica.( e não deixem de baixar as cabeças se a maré estiver cheia !)
Há também o passeio mais completo, que navega pelos principais bairros do Recife, até o bairro de Casa Forte.

Curioso, é que, a iniciativa partiu de uma família
brasileira com certeza, recifense em descendência, mas com laços portugueses. O patriarca do clã era Português, embora tenha atravessado o Atlântico e aportado de corpo e alma no território brasileiro, em 1943, onde casou com uma paulista e veio deixar suas marcas mais perenes em solo pernambucano.

Photo Credit: Osvaldo Barreto
O primeiro barco do empreendimento foi uma embarcação afundada, de propriedade do hotel Gavoa, que passou por uma reforma de treze meses de duração, o seguinte também era proveniente de uma reforma, até se adquirir, sob encomenda, as embarcações atuais, dentre as quais aquela que veio justamente realizar a trajetória náutica no coração do Recife ( a empresa também trabalha com passeios náuticos em Itamaracá e Barra de serinhaém ).

“Quem vem ao Recife, não pode deixar de realizar o passeio de catamarã, e até para o próprio recifense é interessante subir o rio e atravessar os 14 bairros.” orienta Antônio Mauro Jovino de Britto Silva, um dos filhos do finado português, e que hoje comanda a parte operacional do empreendimento, juntamente com o irmão. E completa: “ é interessante observar o contraste em determinadas partes da cidade, prédios de luxo convivendo com construções ribeirinhas deficientes e até palafitas. Essa visão, para o próprio recifense, é importante, pois a percepção de quem passa de carro, ou a pé, perde muito em qualidade para quem atravessa a cidade numa embarcação, navegando pelos rios.”

Photo Credit: Osvaldo Barreto
Questionado sobre a atuação do governo, Mauro diz não ter maiores queixas, apenas ressalta que enquanto a administração anterior tinha como objetivo principal a revitalização do centro e as áreas residenciais de maior visibilidade e valorização, o governo atual trabalha mais a parte social, carente, não deixando entretanto de fazer sua parte quanto ao turismo.

Mauro compara, ainda, Recife à Veneza italiana: “ vir ao Recife e não andar de catamarã é como ir a Veneza e não passear de gôndola!”
O Veneza de Brasileiros assina embaixo e agradece.

Texto de Marcos André Carvalho Lins.

Nenhum comentário: