30 de mai de 2012

Fé não se discute? Não no Facebook.

Se há um lugar que a máxima "fé não se discute" é verdadeira, esse lugar é o Facebook. As vezes até acho engraçado como seres passam tanto tempo nesse tema e no final, como sempre, haverá abandono da causa pelas partes que nortearam a discussão, pois o tempo de agressões e diálogos sem nenhum nexos rompe a barreira da paciência. Alguns chamam até a turma do socorro para auxiliá-lo na briga, e isso é muito patético, pois busca vencer o adversário através da opinião da maioria, como se a sua sozinha não valesse nada. Já vi até um religioso chamar atenção de uma pessoa dentro do debate pois a mesma não compartilhava das ideias tortas proferidas pela entidade:
"Você, como um cristão evangélico que professa ser, deveria se posicionar mais e melhor sobre a cerne da questão..."
 Deveria se posicionar, mas como? É preciso entender uma coisa: Religiosos não têm um opinião que negue a Bíblia como base. E isso não é um preconceito meu, isso não tem o fel dos pensamentos diminutos. Entenda que não há democracia dentro de uma Igreja, ou melhor, dentro de qualquer instituição religiosa. A vontade é do Senhor. Não seguir essa vontade é não seguir o Senhor. Não há vontade da maioria e nem mesmo da minoria. Isso para mim é muito claro.

Agora... Como pode haver realmente um diálogo quando há alguém que não pode sair do eixo religioso. Não percebe que essa briga é desgastante, para não dizer inútil. 

Num certo momento dentro de um debate, um sujeito sem nenhum argumento para defender o seu amado pastor, proferiu essa frase bizarra no meio de uma discussão que pretendia ser séria:
"A verdade está sempre com o homem de DEUS, que é o Sr. Pastor Xxxxx".
Para mim, essa discussão teria acabado naquele momento. Pois, sem querer, esse bendito ser celestial trouxe à tona toda problemática que envolve a fé. Não há nenhum argumento bastante forte diante de perspectivas abstratas. 

Então, o que vemos na realidade é um punhado de baixarias, de discursos montados para promover indivíduos de ambas as partes, de sujeira atrás de sujeira. Quem em público teria coragem de mudar de opinião? Quem, dentro de uma rede social, teria a coragem de dizer "estou errado"? Pode haver sim, acredito nisso também, mas não posso crer que isso aconteça através de insultos.

Senhores, nesses debates tudo transpira a inhaca de esgoto. É tudo fruto perverso do mau gosto, da intriga. Quem promove esses tipos de debates não estão com a intenção de promover ideias, pois não há ideias para serem promovidas, a não ser se autopromoverem. Um lado crê e outro não crê. Argumentos para justificar seus pontos de vista, eles não apresentam, pois não há argumentos para justificar a fé. 

Portanto... tenha a sua fé, viva com a sua fé, ame a sua fé, ame sua fé mais do que tudo, porém, não sou obrigado ter a sua fé, viver a sua fé, amar sua fé, amar sua fé mais do que tudo. Quer conversar comigo sobre Religião, tudo bem, mas tendo como base a História, a Antropologia, a Filosofia, a Sociologia, pois é algo que podemos discutir. É algo que saberemos discutir com um objetivo concreto. A fé... vamos deixar essas coisas subjetivas para um momento mais apropriado.

Nenhum comentário: