9 de abr de 2012

Travis Bickle contra a exploração sexual de meninas


Eu nunca coloco aqui um das minhas grandes paixões: o cinema. E não faço isso pois já há um bando de sites, blogs e afins que se dedicam a esse assunto. Mas gostaria de escrever sobre "Taxi Driver". E não irei escrever essas coisinhas como "quem é o diretor", "qual é a duração", "qual foi o seu elenco" e etc. Isso já tem muita gente fazendo e não vejo um bom motivo de ser mais um. Também não irei me furtar de dizer se o filme é bom ou ruim, como os outros se furtam, e assim, vou buscar resolver o problema que é, penso eu, arrumar alguém que possa dizer se o filme vale ou não ser assistido.

Pois bem, o filme "Taxi driver" é bom, é muito bom! Noutro dia assisti "Drive" e me lembrei de "Taxi driver". Corri para locadora e peguei o DVD para matar as saudades desse grande filme e novamente adorei assisti-lo. E percebi que o tema, infelizmente, ainda é muito atual (acredito ser mais atual que na época em que foi lançado, se isso for possível). A personagem de Jodie Foster é uma garota de 12 anos (a informação sobre sua idade não é tão certa) explorada sexualmente numa cidade em caos. Hoje temos não só as ruas e becos escuros das metrópoles, mas também o tubo iluminado que denominamos de internet. 

Sim, o problema se agravou. A exploração pela internet é tão violenta quanto as ruas e becos escuros, e não há um Travis Bickle, personagem de Robert De Niro, para dar uns tiros nesses canalhas. Seria preciso então a sociedade se mobilizar realmente em torno do tema, mas isso também é antigo e tudo escoa pelo ralo da hipocrisia. Há esses sites e continuarão havendo, mas por favor acredite, você faz a diferença quando não clica neles.

Não seria interessante ao clicar nesses sites pornôs a imagem de Travis Bickle aparecesse na tela do computador? mas isso é só uma brincadeira. O assunto da exploração sexual é sério e deveria ser tratado assim. O problema é que muitos dos nossos bons homens da sociedade buscam essas meninas sem nenhum pudor. Os números estão aí e ainda tem os que fazem contrabando de mulheres para serem exploradas no exterior.

Eu NÃO gostaria que fossem as filhas desses exploradores (escuto muito isso quando estou na rua), eu só desejo vê-los na cadeia como qualquer marginal.

Nenhum comentário: