17 de nov de 2010

A vontade, Kant.

Kant destaca o aspecto moral da vontade. Ele repeliu toda ética dos bens e procurou fundamentar uma ética formal, autônoma e impregnada de rigorismo. Por exemplo, quando ela é autônoma e não heterônima, quando dá origem à lei e não se encontra subordinada a prescrição dependentes de fins alheios a ela, chama-se boa vontade. Esse é o sentido primário e mais importante de “vontade”. A boa vontade possui um valor absoluto com independência dos resultados obtidos. A metafísica estuda aplicação da legislação à experiência. Trata-se aqui de aplicar à realidade concreta dos costumes os princípios a priori, apurados na análise da lei moral.

Nenhum comentário: