31 de mai de 2007

José Dagostim: Poeta dos Arquétipos


Eternidade

Dos espirais adormecidos,
constela-se os arquétipos.

A sincronia de olhares,
desperta a metáfora.

Na eternidade do momento,
movimenta-se o tempo.

Passado, presente no futuro,
desenho cíclico dos espirais adormecidos...
No portal de um olhar, presente.

José Dagostim


É lamentável que a José Dagostim ainda não tenha nenhum livro publicado. Com boa parte de sua obra poética exposta no Overmundo, chego a uma síntese muito mais atrevida que exata: José Dagostim, o Poeta dos Arquétipos.

Na teoria neofreudiana de Carl Jung (1875-1961), os arquétipos que enunciados poéticos, místicos e religiosos utilizam são derivados de uma inconsciência coletiva, que detém memórias de ancestrais, seus relacionamentos e suas experiências. Tudo no campo da metáfora que, ao longo do tempo e para cada pessoa, transforma-se, tomando novos sentidos.

Absorvendo essa visão neofreudina de Jung, há, segundo o próprio Dagostim, uma influência dessa confrontação misteriosa de arquétipos na sua poesia. Assim como, no lado trágico do seu lirismo, pode-se encontrar muito da escrita de Nietzsche. Com os seus textos de dificílima compreensão estilística e conceitual, porém rica em personagens e elementos que se eternizam em nossas imaginações.

Numa breve entrevista via e-mail, José Dagostim respondeu algumas de nossas perguntas:


Um escritor (a) referencial (Por quê??): Pablo Neruda
“A vida é uma metáfora” e navegar pelas metáforas é muito gostoso. Um escritor/poeta que ousou, indagou e questionou o sistema... Sua poesia é uma maravilhosa viagem pela vida...

Um Livro referencial (por quê??): Livro das perguntas de Pablo Neruda.
Gosto do desafio das indagações. Para mim a provocação toda é pedagógica e me inspira...


O que acha da globalização da cultura?
Somente acredito em uma globalização cooperada, que respeite a realidade cultural de cada povo/nação...

O que acha dos novos escritores brasileiros? Temos ótimos novos (as) escritores(as) Qual (ou quais) se destaca? Eu destaco Helena Sut, pela profundidade de seus escritos “ela escreve com a alma”. Adoro o trabalho dela.

Quais são os grandes projetos brasileiros no campo cultural?
Gosto do “Overmundo”. Acho um projeto alternativo que promove a cultura de forma democrática e aberta, isso é bom...

A poesia ainda tem espaço no mundo monopolizado pela mídia dominante?
A poesia/arte indagadora e crítica que rompa com este padrão patriarcal/capitalista antropocêntrico não tem espaço no monopólio da mídia dominante. Acredito na poesia como forma de fortalecer a construção de uma nova sociedade por fora deste padrão capitalista...



Finalizando essa matéria, deixo com vocês o que credito ser a sua melhor definição:

Sigo meu caminho...

Sou
fogo,
água,
ar e
Terra.

Sou
Amor,
cor,
sabor e
melodia.

Sou
verso,
prosa e
poesia.

José Dagostim.


Visite o Overmundo e saiba mais sobre os trabalhos publicados de José Dagostim:

Perfil: José Dagostim

2 comentários:

José disse...

Olá, Osvaldo!!
Tenho somente agradecimentos... Vc bem me define.
Abraços, José!

Anônimo disse...

Fiquei feliz em ver que teus pensamentos tomam asas e atingem outros espaços. Voce é, de fato, um sonhador. Quem sonha e nao age cria apenas fantasias. Agradecida por poder compartilhar idéias. Gostei muito das respostas a entrevista.
Rose Reynaud