22 de ago de 2007

Rangel Castilho: Pantaneiro De Verdade


Um dos poetas mais respeitados no Overmundo, pelas suas poesias românticas e líricas, com um pé fincado no regionalismo pantaneiro, Rangel conta que já foi boêmio, fala o que acha das atuais manchetes desconcertantes dos jornais e trata um pouco de si mesmo, numa breve e exclusiva entrevista concedida ao Veneza de Brasileiros.

Veneza de Brasileiros-O que você acha do Rangel Castilho poeta, você faz alguma espécie de auto-crítica? Você é muito exigente consigo mesmo?

Rangel Castilho
- Tento ser mais um pintor de situações, de lugares, de emoções.
Os bons poetas estão morrendo, estão sobrevivendo só os cronistas de poucas palavras...
Aí, eu me incluo. Auto-crítica não faço, que não mereço. Mas exigente sou, sim.
Mas, às vezes desvirtuo.

Se Te Encontro Me Entregava - Mergulhava De Cabeça...

Pensei em você a noite inteira
Quando vi era madrugada
Se te encontro me entregava
Mergulhava de cabeça

Se te encontro em natureza
De presença escancarada
Minha alma tão atirada
Mergulhava de cabeça

Hoje
Sonho passado a limpo
Se te encontro com certeza
Rosto corado, passo sorrindo
Diante de tua frieza...

Rangel Castilho


Veneza de Brasileiros-E as suas raízes, de onde vem a sua veia poética? Quem são seus autores preferidos?

Rangel Castilho - Sou uma esponja, vou assimilando vertentes, correntes e escolas. Gosto de pensar que escrever cartas foi que me fez fazer poemas, meus amigos de escola gostavam de me ouvir cantar. Comecei a fazer musicas e letras. Os primeiros autores que me vêm à cabeça:
Manoel de Barros
Fernando Pessoa - nem tudo
Paulo Leminsky...
Ana Paula Ribeiro Tavares !!!! - ( africana )
( Na lavra da fala faço meu trabalho, como a casa sem
porta e sem mobília, não tão perfeita como a casa onde o
rei medita, tão redonda como a casa onde Ozoro e as
meninas aprenderam a condição de mulheres...)


Primeiro Um Sussurro - Agora Essa Canção...

Primeiro um sussurro
um gemido
um grito
um gesto
a intenção
depois a palavra
o verbo
a fala
traduzindo emoção
depois o texto
a poesia
a explicação
primeiro o instinto
a vontade
o tesão
depois sentimento
saudade
amor
a paixão,
agora essa canção

vem dormir comigo
vem ser meu destino
eu sou teu menino
pedindo perdão

Rangel Castilho

VB - E o lado boêmio de todo poeta, você gosta da boemia?

Rangel Castilho - Já bebi muito. Bebia todo fim de tarde, com os amigos. Sozinho,meditando.
Acordei muita madrugada. Parei!
Fumei muitos cigarros. Souza Cruz, deixei muito rica!!!
Parei!!!
Adoro a boemia. Mas isso é pra quem pode!
De vez em quando vou pra esbórnia! Mentira, parei! ( Virei Santo...)
Acho que todo artista tem que experimentar um pouco de rebeldia.
Mas bebida e fumo é bobagem.
Negócio é espaço para respirar!!!!

Pantaneiro De Verdade - Pura Essência...

Este homem pantaneiro
é um esteio centenário
pura essência
feito relicário


Homem de consciência
paciência de santidade
riso solto, liberdade
solene solidariedade


Fonte de sapiência
benevolência, irmandade
austeridade, ciência
é pantaneiro de verdade

Rangel Castilho


VB - O que você sente diante de fatos como a violência urbana, a corrupção política e o caos aéreo? Isso tudo está relacionado?

Rangel Castilho - Não parece uma escada? Violência urbana, coisa nossa, de casa, dos vizinhos, parece normal. Uma grana pro porteiro. Pro policial no trânsito, pro guarda municipal. Depois corrupção política que é coisa nossa, dos vizinhos. Dinheiro de empreiteira, pagamento de pensão. E o caos aéreo? É coisa nossa, parece normal não ter responsabilidade. Não ter honra. Não ter ética. Não ter respeito. Não ter educação. Não parece relacionado? Não parece uma escada?


É Noite Outra Vez - E Tudo Recomeça...


Por sobre o cavalo
o peão pantaneia na lida de gado
o sol inclemente
ponteia as horas
e o tempo obedece
logo, logo escurece
é noite outra vez

As estrelas
que estavam escondidas
no céu aparecem
rompendo o silêncio
os seres da mata fazem uma prece
é noite outra vez

Brilha a lua
feito uma santa encima do altar
e o peito emudece
um milagre a se anunciar
é noite outra vez

A natureza divina
vai desfiando a vida
nesse santuário
até o dia chegar
e tudo reiniciar
como um grande rosário.

A tarde vai escurecer
a primeira estrela aparecer
é noite outra vez.

Rangel Castilho


VB - A sociedade brasileira trata bem o poeta e músico?

Rangel Castilho - A sociedade brasileira não sabe que o poeta e o músico precisam comer e beber para viver.

Chuva e Sol – Casamento de Espanhol....

Barra do dia quebrou jejum
Devorou escuridão
Foi embora nuvem negra
Sol armou imensidão

Teve olhar que se perdeu
Não marcou caminho andado
Fiz do meu um arco-íris
Pra servir de itinerário...

Rangel Castilho


VB - Seu trato poético passa muito pelo lirismo e regionalismo, como você vê o nosso país, o nosso povo, e o Brasil em relação ao mundo?

Rangel Castilho - Brasil - Ante Sala do Paraíso!
Como dizer desse povo magnífico? O que falar do amor, quando a
embriaguez do momento é só torpor? Quem mora no MEU Brasil não sabe que existe o
mundo!

Saudade – E a Estrada Acende a Chama...

O horizonte marejou
E dos olhos que vi correu um rio
O carro que já quer ir longe
E a estrada acende a chama....

Dos lábios um tremor
E dos olhos que vi, morreu o riso
O nome que ouço é o meu
Que o vento dissipa em cirandas...

A estrada acabou
E dos olhos que vi, no meu esvaiu
O que pensei ser pra sempre
A saudade chama lembrança...

Rangel Castilho


VB - Como foi sua infância?

Rangel Castilho - Até os oito anos de idade vivi na cidade mais linda do mundo: Bonito - MS.
Depois na segunda cidade mais linda do mundo: Aquidauana.
Muita natureza, rios, fazendas, cavalos, campos, baías, corixos, pescarias, acampamentos...
E das coisas mais importantes de minha vida destaco as pessoas. Amigas ou não.
Todas foram muito importantes.

Eu, Meus Amigos e a Lua – Ficou Silêncio Em Meu Quintal...

Abro a lua em meu quintal
Empoleiro no galho da goiabeira
Pé de manga quis sombrear
Vaga-lume acendeu fogueira

Cajueiro se sacudiu
Acordou beija-flor azul
Limoeiro quis azedar
Jabuticaba lhe adoçou

Lua cheia iluminou
Fiou silêncio em meu quintal
Ficamos todos olhando o céu
Na primeira noite primaveral

Rangel Castilho


VB - Como você definiria sua poesia?

Rangel Castilho - Escrevo o que se lê nos murais. Nada é pra gente. Mas tudo cabe direitinho na gente.
Camalotes - Ilhas Verdes Trazendo A Cheia...

longe choveu e água correu
enchendo corixos
baías
regatos
desceu as colinas
correu pelos pastos
marejou os olhos dos bichos

camalotes desceram o rio
ilhas verdes trazendo a cheia

quando fica parado filtra a água

de noite esconde sereia

é verde pintando o azul
mistura da mata e as nuvens do céu
no meio do rio passou camalote
trouxe mais água pro leito do rio

Rangel Castilho


Duas Belas Canções de Rangel Castilho. Confira!!!!


Palavras Na Boca – Tudo O Que Eu Sinto Por Você...

Filhos - E uma saudade danada de Gabriel....

Conheça mais de Rangel Castilho.

Blog Rangel Castilho

4 comentários:

Rangel Castilho disse...

Osvaldo, meu amigo, meu irmão.
Agradeço sinceramente a deferência dada a esse poeta pantaneiro, tão desinteressante.

Vale muito mais a vida quando temos pessoas como voce, pra nos dar sombra e descanso nas horas difíceis e nas horas felizes, simplesmente existirem.

Obrigado, amigo!!!

Não mereço tanto...

Rangel Castilho

Isabel disse...

Olá, Osvaldo. O Rangel acabou de me passar o link do seu blog. Adorei! A entrevista ficou muito boa. Parabéns. O Rangel merece, sim. Ele faz um lindo trabalho.

Abraços,

Bel Fonseca
www.beleleo.com.br

Osvaldo Barreto disse...

Rangel, Estou totalmente de acordo com Isabel. Você merece muito e isso e muito pouco. Essa é a opinião minha de de Marcos que elaborou a entrevista e a apresentação.
Obrigado, Rangel, por tudo. Salve, Salve, meu amigo Pantaneiro!!!
Abraços!!!!!

Anônimo disse...

Rangel! Rangel!

Bom saber que lembrou de mim quando viu um comentário meu aqui no “Veneza”!

Li muitas poesias do Rangel e, se não me engano, até “combinamos” um sarau no quintal de minha casa. Adorava lê-las!

Não deve estar me reconhecendo no Overmundo porque estava gostando de trocar de apelido semana sim e a outra também. Só não troco mais porque parece que é “proibido”. Parece que uns e outros resolveram baixar um decreto nesse sentido. Rsrsrs...

Ah! Agora vou só trocando a cor do cabelo mesmo. Não tenha foto lá, né? Então, ninguém pode reclamar. Rsrsrs...

Depois eu apareço no Overmundo para apreciar mais.

Criss / Apple